Negócios criam escolas para fomentar o próprio setor com atuação de pequenos

Empresas miram na formação de empreendedores que já utilizam ou desejam trabalhar com sua matéria-prima


Mateus Apud *, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2019 | 06h00


O movimento de empresas de diferentes setores que criam escolas e cursos de formação com o objetivo não só de disseminar conhecimento sobre o produto vendido, mas principalmente de fortalecer o mercado em que atuam, tem crescido com o olho focado no empreendedor. Iniciativas de empresas como Callebaut, Um Coffee e Zôdio fortalecem a matriz e geram oportunidade para quem deseja abrir o próprio negócio.


Para o professor do Centro de Estudos em Empreendedorismo e Novos Negócios da FGV-EAESP Marcus Salusse, essas escolas são vantajosas para os dois lados, pois aumentam a percepção de valor da marca e, de certa forma, chancelam a atuação de novos empreendedores que utilizam seus produtos. “Essas escolas aumentam a fidelidade do consumidor da própria marca, seja ele o final ou o B2B. Além disso, elas ainda ajudam no crescimento de negócios que usam seus produtos como matéria-prima”, analisa Salusse


A Barry Callebaut, uma das líderes mundiais na produção de chocolate de alta qualidade, é um exemplo de empresa que criou o próprio centro de ensino, a Chocolate Academy, fundada em 2013. Com 60 fábricas em 30 países, a marca opera a Chocolate Academy em 20, e o Brasil é um deles, com sede na Avenida Paulista coordenada pelo chef francês Bertrand Busquet. 


Marca ensina técnicas e receitas a MEIs que trabalham com produtos derivados do chocolate, como bombons e ovos de Páscoa Foto: Monica Bento

“Não são cursos para falar apenas do nosso chocolate e sim para aprender a trabalhar com ele”, afirma o coordenador de marketing da Callebaut Brasil, Fernando Brull. Desde cursos demonstrativos (sem mão na massa), com duração de três horas, até módulos mais longos (do básico ao avançado),  com média de três dias, os alunos aprendem os primeiros passos para o manuseio do chocolate até o preparo de sobremesas mais elaboradas. Cozinheiros, confeiteiros, MEIs